»front cover«

About this Publication

Table of Contents

Editor's Note

Opening Conference: "Work, Social Change and Economic Dynamics: Challenges for Contemporary Societies"

- Cómo se hizo Trabajo y vida en la sociedad de la información

Autor: Juan José Castillo

- Trabalho, crise económica e social e propostas para a saída da crise

Autora: Ilona Kovács

. Theme 1) Innovation, Economy Employment and Public Policies

(10) Um olhar sobre as políticas públicas de formação a partir da análise de redes sociais

Esta comunicação resulta duma reconstrução e atualização dos resultados obtidos num trabalho de investigação realizado entre os anos de 2004 e 2007, cujas principais linhas de orientação se centraram na identificação das dinâmicas interorganizacionais das entidades formadoras, designadamente ao nível dos processos e formas de cooperação desenvolvidas pelas entidades que desenvolvem ações de formação profissional no Alentejo (Portugal).
Com o recurso à metodologia de análise de redes sociais, a equipa de investigação procurou identificar as dinâmicas de cooperação que se estabeleceram entre as organizações que desenvolvem ações de formação profissional neste território. Sendo uma região prioritária em termos de aplicação de Fundos Estruturais da União Europeia, a equipa de investigação procurou identificar as lógicas de partilha de recursos, a definição de estratégias de formação e, por último, o posicionamento dos atores na rede.

Autores: Joaquim Fialho; José Saragoça e Carlos Alberto da Silva

(15) Comparative Study of Social Responsibility Models of Polices Forces of Brazil and Portugal

In this short path developed on appropriation and development molds of the concept of social responsibility by the police segment in Brazil and Portugal, it is discussed how the SR was incorporated into the legal frameworks that design management models of the Brazilian and Portuguese police. It shows paths founded on the insufficiency and/or lack of compliance with these milestones for investigation of the meanings attributed by the police; the vision of medium and long-term practices of this segment, discussing to what extent these practices developed by the police in Portugal and in Brazil have points of convergence and divergence in the direction of the SR.
The philosophical direction of the term social responsibility, which has been adopted in this course, relies on the elements of voluntary, individual and altruistic basis, even if these are not provided for in the documents for the regulation of this sector organizations intended to promote the well-being and security of the people, involving symbolic counterparts, like recognition. This study is original in so far as there are no investigations carried out in the area of Police Social Responsibility applied with the object and space here discussed and comes in this theoretical perspective to fill gaps left by scientific studies carried out in the context of the sociology of organizations. It contributes to the increase of knowledge about the issue of how social responsibility can strengthen the new paradigms of police work in our contemporary world, the concept of proximity policing and community policing, in spaces of sociability, no matter if it is Lusophone, Brazilian or outside of them. Help to stimulate the generation of proposals involving the ethics of responsibility, solidarity and commitment to public safety, justice, equality, tolerance and social inclusion and institutional diversity holds the largest sense of the work that supposes to be designed by increasing the aware of the issue of how social responsibility policial_ integrates the work spaces of social life is Lusophone, Brazilian or outside.

Autores: Ivone Freire e Costa e Mónica Melo Freitas

(16) Os clusters, as Redes de Stakeholders e a Responsabilidade Social: Estudo de Caso de Hospitais em Portugal

No presente procuramos tentar perceber em que medida os estudos realizados no âmbito da Responsabilidade Social da saúde invocam os pressupostos teóricos das teorias dos clusters.
Os estudos analisados mostraram que a articulação dos atores em redes de cooperação compreende um dos preceitos básicos da responsabilidade social no setor.
Além disto, mostraram que as redes consolidadas apresentam uma forte propensão para a consolidação de clusters da saúde na medida em que fomenta a inovação, a produção de bem- estar social e o desenvolvimento económico sustentável.

Autores: Mónica Melo Freitas, Rui Santos e Maria João Santos

(28) O nível da gestão de ganho como uma dimensão de qualidade no serviço público

O serviço público é de suma responsabilidade do Estado, constituir obrigações principais do gestor público, ao assumir o cargo proposto através de concurso público ou politicamente, servir os clientes e retribuir o compromisso exigido pela função na qual foi submetido para administrar durante um período determinado. Entre essas obrigações, gerir também o processo político como suporte na gestão pública e satisfazer todos os mecanismos relacionados ao longo do tempo. Desta forma, a administração pública cumprirá a sua obrigação que consiste em fazer o bem público.
O serviço público tem sido função bastante desejável por parte de administradores desde há muito em várias partes do mundo, nesse sentido, alguns procuram especializar-se nessa área e outros entraram através do processo político partidário, desta forma passando a exercer a função de gestores públicos.
A partir da análise de contribuições relevantes de Thenint (2010), Haberler (1976), Costantini & Monni (2006), Mayer-Foulkes (2008) e Stringham (2004) em relação a setor público e serviço público, crescimento económico, qualidade e gestão de ganho, foi desenvolvida uma abordagem relativamente a gestão de serviços públicos, evidenciando o papel do Estado e sua responsabilidade na promoção de competências de gestão para assegurar a melhoria de serviços públicos prestados com particular atenção aos destinatários desses serviços e valorização da cultura de serviço público.

Autores: António Sousa e Benedita Santos

(45) Lógicas empresariais no limiar do século XXI

Dadas as transformações no sistema de produção, ocorridas ao longo do tempo, é importante examinar como a teoria, a partir das novas concepções de gestão da produção, tem conseguido responder (ou não) à mudanças ocorridas no âmbito da firma. Nesse artigo será examinada a participação gerencial e o comportamento empresarial no processo de evolução das firmas. A partir da revisão da literatura, o artigo apresenta algumas lógicas empresariais pós fordistas e as novas formas de acumulação no limiar do século XXI. Com as mudanças na ordem internacional, num cenário regido pela lógica da finança internacional, as empresas confrontadas com a exigência de produzir melhor, com menor aporte de trabalho, se vêem obrigadas a mudanças sociais e econômicas.Com a reestruturação produtiva se assiste a implantação de vários receituários oriundos da acumulação flexível, que reduziu e fragmentou os coletivos de trabalho nas grandes empresas. Na flexibilização das relações de produção há uma maior exigência pela participação do empregado como protagonistas de atitudes proativas e propositivas no processo produtivo. Deste modo, na produção flexível se valoriza o operário participativo e integrado. Ficou implícito, ao longo desse artigo, que as firmas e seus atores podem apresentar características distintas no que se refere ao aspecto gerencial e comportamental. As teorias “gerenciais” e “comportamentais” focam o processo de decisão, com vista a atingir os seus objetivos. As duas vertentes criticam o princípio de maximização dos lucros como norma absoluta da decisão da firma. Esse artigo, em alguma medida, contribui no debate relacionado ao processo de crescimento da firma, particularmente no que se refere a alguns aspectos das abordagens gerenciais e comportamentais.

Autores: Maria de Fátima Rocha Maia

(59) Gestão do conhecimento e modos de inovação: aplicação no setor dos moldes

A gestão do conhecimento é assumida como uma parte integrante e fundamental da estratégia que envolve várias atividades, designadamente, a codificação, a criação e a transferência; e seis características agrupadas em quatro grandes grupos, nomeadamente: (1) A subjetividade, (2) A transferência e sedimentação, (3) A autovalorização, e (4) A perecibilidade e espontaneidade; com base em dois modos de inovação, a saber: Science, Technology and Innovation (STI) quando o conhecimento se baseia na produção e no uso do conhecimento codificado e cientifico; e Doing, Using and Interacting (DUI) baseado na experiência e no saber fazer. Este artigo apresenta um estudo empírico efectuado junto de dois actores institucionais da indústria dos moldes português. Com o objetivo de observar e compreender de que forma estes atores criam, codificam e transferem o conhecimento nos dois modos de inovação, foi estudada a relação diádica existente entre a Associação Nacional da Indústria de Moldes (CEFAMOL) e o Centro Tecnológico da Indústria de Moldes, Ferramentas Especiais e Plásticos (CENTIMFE). No estudo empírico foram realizadas duas entrevistas e analisadas diversas fontes documentais.

Autores: Miguel de Freitas Gonçalves e Maria José Madeira Silva

(68) Eficácia, Eficiência e Mortalidade Empresarial

Este trabalho incide sobre a análise da eficácia e da eficiência do Programa Leader + e sobre a mortalidade das empresas que beneficiaram de apoio financeiro no âmbito desta política pública, nas regiões Alentejo e Norte, no período de 2000 a 2006. A análise da eficácia e da eficiência incide sobre a totalidade dos projetos de investimento financiados e a apreciação da mortalidade empresarial recai apenas sobre o setor privado e mais particularmente sobre as empresas com atividade e/ou sede nas referidas regiões e que beneficiaram de financiameto. A metodologia utilizada para avaliar a eficácia e a eficiência teve por base a apreciação de indicadores de realização e de indicadores de resultado e do rácio input-output, sendo este último obtido pelo quociente entre os custos (input) e os resultados obtidos (output). A sustentabilidade é analisada a partir das taxa de mortalidade das empresas e pelo estudo da relação entre a mortalidade empresarial e as variáveis região de pertença, atividade da empresa e número de sócios. O estudo permitiu encontrar diferenças entre as duas regiões ao nível da eficácia e da eficiência da politica pública, bem como ao nível da mortalidade empresarial.

Autores: Maria Manuel Serrano; Paulo Neto e Anabela Santos

(70) Regional Convergence and R&D Investment: Applied investigation in Portugal

R&D investments are seen has having an enormous potential impact on the competitive position of regions and perhaps on regional convergence (or divergence) too. The aim of the paper is to study both the localization of R&D investments and regional income distribution among the NUTs 3 regions of Portugal to conclude if these variables are related or not. We intend to answer questions like if geography influences the pattern of R&D investments and inequality, and if these ones reveal the presence of spatial correlation. Furthermore, we evaluate convergence or divergence in income growth and if it is related with R&D investments. After a brief introduction we evaluate the inequalities among regions using information about per capita GDP and per capita R&D investment. It follows the convergence analysis and conclusions.

Autores: Gertrudes Saúde Guerreiro e António Henriques Martins Guerreiro

(73) The out of pocket in healthcare: the lower social protections for workers

In a socio-economic reality where the protection of workers is diminishing, the need to be in good health to do their job is increasingly important. Various reasons are given that lead to the conclusion that health spending is a driving force for the growth of a country in the short and in the long term: a healthy state increases the time available for work, increases productivity, increases life expectancy and makes it possible to reach an aggregated degree level of higher education of the population, thereby increasing the stock of human capital. There are many effects that derive from access to good health like increased productivity, since workers feel more physically and mentally more efficient and energetic or a decrease in the number of sick days and days off of work to care for family members who are ill. With the prospect of a longer life, healthy people have the incentive to invest in qualifications and so good health leads to better school attendance as well as improved mental faculties. The private opportunity cost increases for as long as the waiting time increases, since it is impossible to carry out normal daily activities like work. Equally important is the time involved in obtaining treatment like waiting time, travel time and last, but not least, the anxiety and uncertainty involved in not knowing when treatment will be provided. It is therefore the long waiting time involved in public health services which leads people concerned with the cost of opportunity to turn to privately paid health services.

Autores: Elena Querci

top

. Theme 2) Work and Employment in the Social Economy

(20) Representações sociais de profissionais de intervenção social sobre dispositivos e medidas de inclusão social

A crise do modelo fordista exigiu aos países ocidentais o repensar das suas abordagens económico-sociais. Face ao crescimento do desemprego/emprego precário e dos fenómenos de exclusão social e pobreza, as respostas nacionais foram-se tornando descentralizadas, dada a menor capacidade de regulação do Estado (Carrilho, 2008).
O local tem-se vindo assim a tornar um campo de testes de ação pública, desenvolvendo-se novos dispositivos de inserção social local, transversal e partenarial da exclusão social (Hamzaoui, 2005).
No entanto, o trabalho social é hoje cada vez mais paradoxal, já que ao mesmo tempo que tem que cumprir um papel de integrar e de se abrir a um projeto profissional e/ou formativo por parte do/as cidadãos/ãs que não têm capacidade de afirmação, é alvo de uma vigilância e controlo quantificados comandados pela instituição/Estado.
Esta tendência parece constatar-se nas relações entre aqueles que concebem os projetos a nível central e aqueles que os executam no terreno, a nível local, revelando-se ambiguidades existentes nos papéis dos profissionais de intervenção social, que oscilam entre aplicadores e controladores do cumprimento das políticas e medidas de inclusão e controlados eles/as próprio/as por políticas e medidas definidas fora do seu controlo.
No âmbito de uma investigação de doutoramento intitulada “Inclusão Social, Formação e Empregabilidade: uma análise crítica de políticas, dispositivos e discursos”, constituiu-se como um dos principais objetivos compreender como num território específico, se constroem localmente os dispositivos e discursos sobre inclusão, formação e emprego, procurando-se escutar as histórias de diferentes agentes sociais.
Neste artigo são apresentadas as representações de 20 técnicos da área social sobre as medidas sociais que dispõem na sua intervenção, nomeadamente o Rendimento Social de Inserção e medidas de incentivo à empregabilidade e formação. Em particular são analisadas os seus discursos sobre a conceção e implementação destas medidas, bem como o seu impacto na vida daqueles que delas beneficiam.

Autores: Patrícia Ribeiro, José Alberto Correia e João Caramelo

(72) The value of human resources in non profit organizations: Italian situation

The aim of the paper is to analyze the situation of the human resources in the non profit organizations in Italy. The human resources of a non profit organization are composed by workers and volunteers. Volunteers are workers who voluntarily choose to provide services to a non profit, without any expectation of compensation.
The non profit sector is an often overlooked and important economic driver with its employees and a large number of volunteers. Non profit organizations provide important opportunities for people to combine their energy, talents and values for community improvement and enrichment. A large number of non profit organizations are formed to produce goods or services while abiding by certain moral, intellectual, aesthetic or religious principles. Several authors have suggested that, under such conditions, the organizational goals of non profits are often best achieved by intrinsically motivated employees and by employees who identify very closely with the goals of the organization. Keeping employees motivated and engaged is the key to every organization’s success especially in the non profit sector. When people work at a non profit, they are surrounded by people driven by a sense of mission. It goes beyond job satisfaction and is not simply motivation. Engagement is something the employee has to offer as it cannot be required as part of the employment contract.
The work in the first part is theoretical. In the second part predominantly employs the quantitative methods; authors present an empirical analysis based on observed and measured phenomena and derives knowledge from actual experience rather than from theory or belief. It describes and synthesizes, with the use of statistical data, the dynamics and the evolution of the human resources in the Italian non profit organizations.

Autores: Patrizia Gazzola e Stefano Amelio

top

. Theme 3) Education and Labour Market

(6) (Re)aprender a trabalhar com deficiência adquirida

O aparecimento súbito de uma deficiência constitui-se num turning point nas trajetórias biográficas individuais, dando origem a processos marcados por uma profunda dimensão formativa. Embora podendo apresentar-se sob formas e extensões muito variadas, a deficiência em geral, e a adquirida em particular, acarreta sempre limitações, potenciadas pela visão negativa e estigmatizante da sociedade, o que condiciona a forma como as pessoas afetadas se veem a si próprias e se inserem na comunidade, nomeadamente no mercado de trabalho. Esta circunstância tem motivado a implementação de políticas com o objetivo de facilitar a inclusão e participação social destas pessoas, tais como as medidas de reabilitação profissional. Contudo, apesar dos modelos de intervenção e das medidas de política pública advogarem o princípio da inclusão, as práticas de reabilitação profissional têm-se desenvolvido predominantemente à margem do sistema regular de educação/formação, pouco se conhecendo sobre a forma como contribuem para a reconstrução dos percursos de vida das pessoas com deficiências adquiridas. Por outro lado, pouco se conhece também sobre a forma como as pessoas vivem esta situação e que caminhos seguem depois de serem confrontadas com ela.
Com esta comunicação pretendemos analisar as trajetórias profissionais e de qualificação de pessoas com deficiência neuro-musculo-esquelética adquirida, identificando o papel desempenhado pelo sistema de educação e reabilitação profissional na reconfiguração das suas biografias profissionais, bem como compreender as suas vivências ao longo desse percurso. Para a prossecução deste objetivo foram realizadas 6 entrevistas semi-diretivas a interlocutores institucionais e 21 a pessoas com deficiência adquirida. A análise realizada permite-nos concluir que estas pessoas, em regra, contam pouco com o suporte oficial para a reconstrução dos seus percursos, os quais assumem formas bastante variadas mas nem sempre inclusivas e/ou satisfatórias. Foram identificadas algumas alternativas para modificar a situação, mas introduzi-las no atual contexto socioeconómico constituirá, porventura, um grande desafio.

Autores: Benedita Lima

(8) O Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências Profissionais (RVCC-PRO) – Limitações e potencialidades do processo

Este artigo decorre duma investigação sobre o Processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências no Centro Novas Oportunidades do Centro de Formação Profissional de Évora. Pretendeu-se compreender o processo e a estratégia de qualificação profissional dos participantes, o impacto da obtenção da certificação na sua vida, em termos pessoais, familiares, profissionais, sociais, educativos e formativos. Trata-se de um estudo de caso de carácter exploratório, para o qual se construiu um inquérito por questionário para conhecimento da realidade. Entre os principais resultados alcançados regista-se a existência dum elevado grau de satisfação pessoal e a inexistência de benefícios profissionais que levem a mudanças de paradigma.

Autores: Joaquim Fialho e Eduarda Fernandes

(9) A formação –emprego no setor da aeronáutica. Lógicas e práticas de empregabilidade do cluster de Évora

A formação profissional tem como fim nobre a promoção da empregabilidade, seja na perspetiva da promoção de competências iniciais para desempregados e sua consequente integração no mercado de trabalho, seja na perspetiva da melhoria das competências de ativos empregados, numa lógica de melhoria dos seus desempenhos profissionais. A discussão entre os eixos da formação profissional, trabalho e emprego assume nos nossos dias um papel nevrálgico no discurso sociopolítico, no sentido da promoção de políticas públicas ativas de emprego e formação profissional. Nem sempre as experiências de formação são sinónimo de sucesso, se entendermos este sucesso como a relação dicotómica formação-emprego. Infelizmente, nos nossos dias, não são muitos os case study em que esta relação se mantém com alguma acuidade, absorvendo de forma relevante o resultado de atividades formativas, sejam elas públicas ou privadas.. A presente comunicação vem trazer para o debate o caso do recém-criado cluster aeronáutico de Évora, em que a ação de Serviço Públicos de Emprego e Formação Profissional tem gerado elevados índices de empregabilidade de formandos nos setores da indústria aeronáutica, com relevo para a qualificação de ativos na área da montagem de estruturas, tratamento de metais, produção e transformação de compósitos e maquinação CNC. Serão apresentados indicadores sobre a empregabilidade no período compreendido entre 2011 e 2014, bem como alguns dos principais traços que constituem esta estratégia de formação-emprego.

Autores: Joaquim Fialho e António Branquinho

(11) O Processo Formativo de Animadores Socioculturais na ESE de Lisboa e a Transição para o Mercado de Trabalho

O reconhecimento dos animadores socioculturais em Portugal nas últimas décadas assentou, em grande medida, no incremento do associativismo profissional e na diversificação da formação. À diversidade da oferta formativa somou-se a fixação do código deontológico do grupo e do estatuto, a par da disseminação das publicações e da realização de congressos, entre outros momentos de formação e afirmação do grupo profissional. No quadro deste processo de profissionalização inscreve-se a licenciatura da ESELx-IPL. Com o presente texto pretende-se contribuir para o aprofundamento do conhecimento sobre a licenciatura nesse processo, em particular no que diz respeito ao processo formativo e transição para o mercado de trabalho dos diplomados. Metodologicamente, a informação considerada foi recolhida desde 2009/2010, centrando-se o presente texto na caracterização dos alunos e diplomados da ESELx, no que diz respeito aos percursos formativos e inserção profissional. Analiticamente, consideraram-se diferentes dimensões. A primeira prende-se com as áreas de interesse dos alunos manifestadas no percurso formativo. A segunda dimensão centra-se no processo de inserção profissional. Por fim, a terceira dimensão refere-se à continuidade de formação. Os resultados demonstraram a importância da iniciação profissional em contexto em instituições diversificadas. Os procedimentos de análise permitiram também identificar as principais modalidades de transição para o mercado de trabalho. Tais resultados reforçam a importância das instituições formadoras contribuírem para a afirmação dos grupos profissionais, em diversos planos.

Autores: Joana Campos; Célia Martins; Alfredo Dias e Laurence Vohlgemuth

(18) O papel dos stakeholders no ensino superior: experiências e desafios na promoção do empreendedorismo

Nos últimos anos as instituições de ensino superior têm diversificado as suas estratégias de promoção de uma cultura empreendedora entre os seus alunos e diplomados, não só através da dinamização de aprendizagens formais, mas também de aprendizagens de cariz não formal e informal. Relativamente às aprendizagens de cariz informal e não formal é possível identificar um conjunto variado de atividades com vista a promoção do empreendedorismo, designadamente atividades de sensibilização, atividades de formação específicas de desenvolvimento de competências, bem como atividades com vista a mentorização e o acompanhamento de novos projetos e ideias empreendedoras. Estas atividades são desenvolvidas por um conjunto diversificado de entidades ligadas ao sistema de ensino superior, como clubes de empreendedorismo dinamizados por estudantes, gabinetes de promoção do empreendedorismo, incubadoras, entre outros atores-chave que poderão ter um papel motor na construção de um ecossistema favorável à cultura empreendedora entre os jovens qualificados. Considera-se que o sucesso destas aprendizagens empreendedoras encontra-se ancorado ao estabelecimento de parcerias concertadas entre instituições de ensino superior, governo e mercado.
A partir do projeto em curso “Aprendizagens empreendedoras, cooperação e mercado de trabalho: boas práticas no ensino superior” (POAT-FSE), doravante designado de Link.EES, pretende-se apresentar os principais resultados decorrentes dos avanços da pesquisa empírica realizada, em particular do inquérito por questionário aplicado a uma amostra diversificada de entidades do ensino superior dinamizadoras de atividades de promoção do empreendedorismo de âmbito não formal e informal, bem como contribuir para uma reflexão mais ampla sobre as dinâmicas colaborativas entre os diferentes atores chave do ensino superior português empenhados na promoção deste tipo de aprendizagens empreendedoras, designadamente no que se refere às perceções dos atores sobre as principais vantagens e obstáculos inerentes a este tipo de dinâmicas.

Autores: Ana Paula Marques; Ana Isabel Couto; Paula Rocha e Rita Moreira

(19) De pequenino é que se torce o destino. Resultados da avaliação do Programa Empreender na Escola

O presente artigo resulta de um estudo de Avaliação de Impacto do Programa "Empreender na Escola", no período de 1 de Março de 2013 a 31 de Outubro de 2013, que envolveu escolas dos municípios do Corredor Azul. Esta designação territorial integra os municípios de Arraiolos, Borba, Elvas, Estremoz, Évora, Montemor-o-Novo, Santiago do Cacém, Sines, Vendas Novas e Vila Viçosa que se encontram estrategicamente posicionados na ligação entre a Área Metropolitana de Lisboa e Espanha, configurando territorialmente uma linha de polos urbanos que se inicia com as cidades do Litoral Alentejano, através da denominada "porta Atlântica" e estruturam o território do Alentejo Central, finalizando no Alto Alentejo com a ligação a Badajoz. A literatura apresenta uma multiplicidade de modelos teóricos e pistas de ação para a construção, dinamização e consolidação de lógicas empreendedoras. Nem sempre os modelos apresentados se coadunam com as práticas, os contextos e os públicos-alvo das iniciativas empreendedoras. Considerando os objetivos preconizados pelo Programa Empreender na Escola, a equipa de avaliação optou por adotar o modelo elaborado pela Central Business (2006) para a Direção Geral de Desenvolvimento Curricular do Ministério da Educação. A nossa opção sustentou-se na possibilidade de adaptarmos para a avaliação um conjunto de seis dimensões nucleares que nos permitem ter uma visão integradora das competências empreendedoras e, simultaneamente, podermos mapear algumas características pessoais dos jovens do Programa, como por exemplo a as resistência á frustração, as relações interpessoais e o espírito de iniciativa.

Autores: Joaquim Fialho; José Saragoça; Carlos Alberto da Silva e Mónica Brito

(23) Expetativas e experiências de estudantes de Sociologia face à Sociologia do Trabalho e das Organizações

As expetativas dos e das estudantes do ensino superior tendem a ser instrumentais, ou seja, mais do que almejar o conhecimento pelo conhecimento, esperam sobretudo que os cursos frequentados e as matérias nestes lecionadas lhes confiram competências valorizáveis no mercado de trabalho e que lhes permitam o acesso a uma profissão (Saúde, 2006). Estes e estas jovens privilegiam pois a educação como via para o acesso ao mercado de trabalho, na expectativa de uma relação de continuidade entre educação e emprego no sentido do capital humano (Becker, 1983) mesmo tendo em conta que este acesso é presentemente mais marcado por sobressaltos e sinuosidades devido à crise económica e ao crescimento do desemprego, de tal forma que há quem considere que perdeu o sentido falar de inserção preferindo o termo transição que sublinha o caracter contingencial desta fase (Gonçalves et al, 1997). Neste cenário de complexidade crescente das relações e situações de trabalho, que perspetivas para um estudante de Sociologia que considere uma carreira na área do Trabalho e das Organizações (STO)? Quais as expectativas dos e das discentes em relação a esta área do conhecimento? Pode a lecionação de STO promover a empregabilidade nesta área do conhecimento? Que competências diferenciadoras pode oferecer? Com estas reflexões como pano de fundo, esta comunicação irá partilhar os resultados de um estudo direcionado para as perceções, expetativas e experiências de estudantes de Sociologia na introdução à área de Sociologia do Trabalho e das Organizações procurando compreender de que forma o contacto com esta área do conhecimento os e as marca no sentido da seleção das suas áreas de interesse bem como da perceção dos fenómenos do emprego, do trabalho e do seu próprio trajeto de inserção profissional.

Autores: Catarina Sales Oliveira

(48) Entre a formação e a profissão: ambiguidades no perfil de saída da licenciatura em Educação Básica

O presente texto enquadra-se no processo de análise e reorientação do curso de licenciatura em Educação Básica na Escola Superior de Educação de Lisboa.
As finalidades da licenciatura em Educação Básica correspondem às de um curso de “banda larga” que permite a saída para o mercado de trabalho mas não confere, por si mesmo, profissionalização para a docência. Esta característica da licenciatura cria uma ambiguidade em relação à orientação geral da formação, evidenciada nas definições do perfil de saída das diversas instituições formadoras.
A clarificação do perfil de saída deste curso torna-se, assim, um fator determinante para a coerência e consistência do currículo no sentido de dotar os licenciados de um conjunto de competências que lhes permita entrar no mercado de trabalho após a conclusão da licenciatura.
No entanto, a tradição e experiência na área da formação de professores da maior parte das instituições tem influenciado a orientação deste, dando primazia à preparação para a docência e relegando para segundo plano a entrada imediata no mercado de trabalho.
O objetivo geral do presente texto é discutir as estratégias organizacionais, curriculares e pedagógicas que têm sido mobilizadas na revisão e construção de um plano de estudos que prepare para o desempenho de um papel social e profissional, para além de proporcionar o seu desenvolvimento pessoal.
Para a sua concretização mobilizamos a informação recolhida nos questionários aplicados aos recém licenciados em Educação Básica, em três anos consecutivos, para: i) identificar as possíveis saídas profissionais do curso, a partir do levantamento da natureza e âmbito da intervenção profissional que desenvolvem; ii) refletir sobre as respostas do currículo definido na preparação para a intervenção profissional que desenvolvem; iii) analisar a influência dos contextos em que os estudantes desenvolvem a sua intervenção educativa nas atividades profissionais que se encontram a exercer pós-licenciatura.

Autores: Teresa Leite; Cristina Loureiro e Maria João Hortas

(52) Prospectiva e Gestão Estratégica de Escolas: um olhar sociológico

Enquadrada no campo dos Future Studies enquanto abordagem interdisciplinar que estuda as mudanças passadas e presentes e procura desenvolver a capacidade de antecipar/traçar futuros possíveis e facilitar a mobilização dos actores, a prospectiva constitui-se como uma metodologia com enorme potencial para intervenções orientadas para o desenvolvimento e a mudança das organizações. Num momento em que as escolas são, cada vez mais, impelidas para uma gestão estratégica, a prospectiva poderá assumir-se como uma importante metodologia ao serviço dessa gestão, na medida em que pode elucidar os futuros possíveis de um sistema, ou seja, o que pode acontecer num determinado sistema (prospectiva exploratória), antecipar a evolução do enquadramento, testar as estratégias existentes e/ou definir uma nova visão estratégica condutora da acção (prospectiva estratégica). Nesta comunicação apresentamos os fundamentos e o interesse da prospectiva, na óptica da sociologia da acção e, focados no «método dos cenários» (Godet, 1993), sublinhamos as suas potencialidades para gestão das organizações escolares.

Autores: José Saragoça; Joaquim Fialho e Carlos Alberto Silva

(58) E depois de Bolonha? Transições entre educação e trabalho de diplomados da UNL

Com o objetivo de contribuir para a reflexão sobre os desafios atuais no que respeita aos domínios do trabalho, da mudança social e das dinâmicas económicas, a comunicação centra-se nas relações entre educação e trabalho. Nas sociedades contemporâneas constata-se que as transições entre sistema educativo e mercado de trabalho são cada vez mais frequentes em diferentes etapas do ciclo de vida dos indivíduos e, simultaneamente, não é raro que sejam incertas e inesperadas. No caso específico do ensino superior, para além destas tendências gerais, as alterações na estrutura de graus introduzidas na sequência da implementação do Processo de Bolonha configuram um contexto diferente para as transições dos diplomados entre educação e trabalho. Assim sendo, importa aprofundar o conhecimento e a reflexão sobre estas transições, explicitando os respectivos contornos e as lógicas subjacentes.
Para tal, analisam-se especificamente percursos de diplomados de ensino superior através da mobilização de dados empíricos que vêm sendo recolhidos anualmente no OBIPNova (Observatório da Inserção Profissional dos Diplomados da Universidade Nova de Lisboa) desde 2010, os quais permitem uma análise evolutiva das tendências observadas. Em cada inquirição anual, o questionário do OBIPNova tem sido respondido por licenciados, mestres e doutores da UNL que obtiveram os graus cerca de um ano antes em todas as unidades orgânicas e áreas disciplinares. As amostras constituídas têm por base margens de erro reduzidas, principalmente no caso dos licenciados e mestres, permitindo-nos assim depositar uma confiança elevada na fiabilidade dos dados.

Autores: Mariana Gaio Alves

(65) O Desafio do Equilíbrio Financeiro

No Brasil os níveis de endividamento das famílias têm se mostrado bastante expressivos. As novas formas de acesso ao crédito, especialmente aqueles previamente aprovados, se ampliam com intensidade crescente. Essas facilidades de acesso ao crédito expandem as possibilidades de aquisição de bens e serviços por meio de financiamento, normalmente com custos elevados. Nesse contexto, um dos grandes desafios é, de fato, a adequada gestão das finanças pessoais. O artigo foi desenvolvido com base em pesquisas bibliográfica e documental e seu objetivo é refletir sobre a importância da educação financeira numa sociedade de crédito fácil e juros elevados. Em alguma medida, o estudo sugere reflexões acerca da necessidade do planejamento orçamentário e do desafio de buscar, de forma financeiramente sustentada, a realização dos sonhos de consumo. A educação financeira pode contribuir para a estabilidade do sistema econômico, pode favorecer a sustentabilidade financeira do indivíduo e de seus familiares ao longo da vida. Ressalta-se que, apesar da hegemonia dos objetivos capitalistas e das campanhas vorazes de marketing, na medida em que a dimensão dos problemas decorrentes dos desequilíbrios orçamentários é descortinada, a preocupação com a educação financeira ganha mais visibilidade na sociedade. E, algumas delas tem se tornado, em maior ou em menor medida, objeto de políticas de ação tanto para alguns gestores do setor privado quanto governamentais e não governamentais.

Autores: José Maria Alves Cardoso; Maria de Fátima Rocha Maia e Tânia Marta Maia Fialho

top

. Theme 4) Labour Market, Flexibility and Precariousness

(7) Modos individuados de relação ao trabalho dos formadores de adultos na sociedade portuguesa: A fabricação de identidades hibridas e incertas num contexto hegemónico do novo precariado flexível

Com este texto pretende-se divulgar os resultados parciais de uma investigação de doutoramento em Sociologia realizada na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa em que uma das dimensões em análise esteve directamente relacionada com os modos individuados de relação ao trabalho dos formadores de educação básica de adultos no âmbito do programa de políticas públicas Iniciativa Novas Oportunidades. Tendo como um dos olhares teóricos centrais a sociologia da individuação e procurando a investigação compreender em profundidade os modos de apropriação desta medida de política educativa a partir da perspectiva dos actores que têm a responsabilidade de a implementar, foi possível constatar que os modos individuados de relação ao trabalho dos formadores de adultos estão marcados socialmente pela fabricação de identidades híbridas e incertas e pelo modelo hegemónico da precariedade flexível. Este modelo que é claramente dominante da condição face ao trabalho dos formadores está em consonância com as exigências do novo espírito do capitalismo. Instalados na precariedade, a maior parte destes indivíduos querem-se adaptáveis, flexíveis, disponíveis a todo o momento para as necessidades do mercado da formação e estão socialmente marcados por uma identidade projecto.

Autores: João Eduardo Martins

(12) Vulnerabilidade laboral no ensino das danças sociais a par: uma aproximação à prática de ensino da dança Kizomba

Neste artigo pretende-se problematizar a condição das profissões artísticas face ao trabalho, a partir de um olhar produzido no cruzamento da sociologia da dança, da sociologia das profissões e da sociologia do trabalho. Em resultado de um projeto de investigação em desenvolvimento no âmbito do mestrado em Sociologia da Faculdade de Economia da Universidade do Algarve, cujo objeto de estudo se centra nas identidades e trajetórias dos professores de dança Kizomba na sociedade portuguesa; num estudo de natureza qualitativa que procura compreender em profundidade o ofício do ensino desta dança social de par, a imersão na literatura permite desde já compreender que esta é uma ocupação que não se encaixa nas conceptualizações habituais da sociologia das profissões, visto que os indivíduos que exercem a sua ocupação no campo da produção artística, interpretam a sua “profissão” como uma “vocação” e elaboram em consonância estratégias de sobrevivência das suas carreiras através de uma desmultiplicação de atividades que obedecem a dinâmicas de pluriatividade, poliatividade e de polivalência. Esta desmultiplicação de atividades é associável a uma vulnerabilidade laboral originada por contextos de ação marcados pela precariedade no trabalho. É um padrão que marca as atividades das “profissões” artísticas, levantando nós desde já a hipótese de esta ser igualmente uma marca social no exercício da atividade dos professores de dança Kizomba.

Autores: Carlos Jorge Sequeira Simões

(34) Unemployment and precarious work in a southern European country in times of (permanent) austerity

In spite of all the efforts and political strategies delivered to control high unemployment levels in EU countries culminating in an European Employment Strategy put into force in the late 90’s of the 20th century, unemployment continues to be one of the EU major social problems. In 2013, over 26 million of people were unemployed, 5.5 million people under the age of 25, and more than 12 million had been without work over twelve months. Although we admit that the labour market situation deteriorated in many countries in the wake of the 2008 economic and financial crisis, in countries like Portugal increasing levels of unemployment and precarious work are also the result of structural problems and ill-conceived employment and educational policies, which are themselves in a process of re-commodification. Another initial idea to consider is that there are different (national, regional) configurations of unemployment, due to a combination of agency and structural features. Beyond common, apparently converging patterns, unemployment and precarious work do not have exactly the same meaning, are not addressed the same way nor produce similar results in all Western European capitalist societies. The aim of this paper is to analyse changes in employment and unemployment in a Southern European country within the last fifteen years, from a sociological institutionalism perspective. This means that we aim to apprehend these changes in a certain political, historical context punctuated by the action and forms of organization of diverse social institutions (e.g. governmental agencies, employers and employees associations) that deliver specific policies and perform a given social and political role. In our analysis we are also concerned with the current meaning of sociological concepts such as work and unemployment, because we concede that they are in a process of transformation resulting from significant changes in the organization of social life and in political (and economic) orientations.

Autores: Carla Valadas

(37) Realidades organizacionais no mundo do trabalho do Século XXI. Estudo de caso num call center de uma Instituição Bancária Portuguesa

A globalização, fenómeno que surge no final do século XX, impulsiona uma mudança que nos integra na “aldeia global” revolucionando a nossa forma de estar em sociedade. Acompanhando as mudanças o mundo do trabalho adapta-se, existindo uma mudança, quer a nível conceptual quer a nível da forma da sua execução. Surge o trabalho em call center, sendo criadas analogias com o trabalho taylorizado tanto pelas características das funções realizadas, como pelo impacto negativo que frequentemente têm junto dos trabalhadores. No trabalho em call center é recorrente o turnover, ou seja, a entrada e saída de trabalhadores, e este pode ser encarado como um problema para a organização se considerarmos os custos do despedimento, da contratação e da formação de novos trabalhadores. A saída do trabalhador pode ser antecedida de insatisfação com as características das funções e com aspetos organizacionais, mas o cansaço e a exaustão (burnout) também podem contribuir para esta insatisfação. No presente estudo é tido em conta um call center de um banco, onde se verifica um elevado turnover dos assistentes de outbound, aqueles que proactivamente contactam o cliente. O objetivo da comunicação é compreender quais os motivos que podem influenciar o turnover no call center da instituição bancária.

Autores: Vera Lúcia Campos Moreira; Paulo Marques ALves e Maria do Carmo Botelho

(38) Da precariedade à sinistralidade laboral: Procurando evidências

Assistimos hoje a uma real ‘metamorfose do trabalho’ que afeta não só os seus conteúdos e formas, como também as suas modalidades, espaços e tempos de execução. As ‘velhas’ relações de emprego estáveis têm vindo a dar lugar a novos arranjos laborais atípicos que se traduzem em novas noções de tempo e espaço de trabalho. Dentro da sociologia do trabalho, diversos estudos têm demonstrado que as transformações no trabalho expressas na flexibilidade dos mercados e regimes contratuais, na crescente precariedade e no aumento da vulnerabilidade acentuam os riscos e inseguranças experienciadas pelos trabalhadores.
A insegurança no emprego, a diminuição de rendimentos e a menor proteção no trabalho forçam os trabalhadores a assumir maiores riscos no mercado e nos locais de trabalho e consequentemente a estarem expostos a condições de trabalho inseguras e insalubres.
A relação entre condições de trabalho, emprego precário, debilidade das condições de saúde e segurança dos trabalhadores aparece como uma evidência e tradução das recentes transformações. Partindo da análise das condições de trabalho pretende-se discutir as possíveis relações e evidências entre as transformações no trabalho e o aumento dos riscos vivenciados pelos trabalhadores. Constituindo os acidentes de trabalho uma manifestação de violência e vulnerabilidade social a que o trabalho é capaz de expor os cidadãos, procura-se compreender os impactos da precariedade na saúde e qualidade de vida dos trabalhadores.
Partindo de uma reflexão mais abrangente sobre as transformações no trabalho, as condições de trabalho e os impactos na saúde dos trabalhadores, pretende-se identificar, no contexto português, algumas destas evidências. Através da exploração dos dados estatísticos referentes ao número de acidentes de trabalho e características dos sinistrados procura-se construir um perfil tipo do sinistrado e encontrar evidências empíricas entre o aumento da precariedade e a sinistralidade laboral.

Autores: Teresa Maneca Lima

(39) Dados e reflexões sobre o mercado de emprego da Madeira (2005-2013)

O mercado de emprego da Madeira decorre num espaço peculiar, no qual o impacto do emprego público na formação do emprego total é um fenómeno assinalável. Trata-se de um mercado que reúne na sua condição insular, paradoxalmente, as suas maiores vantagens e desvantagens e que ao longo dos últimos anos (2005-2013) não esteve imune a um conjunto significativo de transformações. Cada vez mais distante dos tempos do presumível pleno emprego da viragem do século, o mercado de emprego da Madeira registou nos últimos anos uma série de aumentos sucessivos na população desempregada. Atualmente, a Madeira apresenta uma taxa de desemprego formada por dois dígitos, que a coloca entre as regiões com as piores taxas de desemprego do país e da Europa, com a particularidade das taxas de desemprego registadas englobarem taxas de desemprego jovem muito elevadas, que se cifram em valores que estão perto do dobro da média comunitária. Este artigo reconstitui o trajeto do emprego e do desemprego na Madeira e assinala algumas das reconfigurações ocorridas. Através da coleta, organização e leitura de um conjunto de dados estatísticos oficiais, fica assim documentado um fenómeno com grandes repercussões sociais (como é o desemprego), numa região insular da denominada ultraperiferia europeia.

Autores: Ricardo Fabrício Rodrigues

(46) Identidade e trabalho: um estudo com trabalhadores do setor informal de Porto Velho, RO, Brasil

This article aims to understand how is the social identity in the work of "Street vendors" of the city of Porto Velho, located south of the Brazilian Amazon. The context of the globalized world , which the trade end up reducing geographic barriers and facilitate the transit of goods; and allows contact between other cultures, other social understandings that constitute the subjectivity of individuals inserted in another context. In this understanding the study favored a qualitative approach was used as technique are single interviews with semi- structured questions, four interviews were conducted with workers in the informal sector of the city. As an ethical procedure was presented the Consent and Informed, only began the interview after signing it. It was observed that the meaning of work represented many subjective dimensions of life, first work is a means to ensure survival, and on the other hand, means a way to have health and social relations, also a personal achievement.

Autores: Débora Laís Silva de Oliveira e Vanderléia de Lurdes Dal Castel Schlindwein

(69) Biographic Processes of Precariatized Minds in Contact Centers

At the end of the 20th century, communication society brought new challenges, not only for post-modernity but, mainly, to academic qualified workers. The deterioration of work conditions, structural unemployment and the increasing of precarization of job offers in the labor market, contrast with the growing need of qualification for the acquisition of employability. New forms of labor intensification, the inexistence of expectations and the recognition and/or devaluation of qualifications have perverse impacts on the worker’s psychic and mental structure.
The need for survival forces workers to emigrate or accept low-skilled jobs with tenuous links. The 19th century factories were transformed into computerised and lyophilized work centres. In the current precarious society, call and contact centres embody in the best way precarious work, subcontracting the "de-employed". The reality of these workers consists, above all, in an alienation translator of an extreme impotence, as well as a high degree of physical and spiritual dehumanization.
O presente estudo consiste numa análise longitudinal de biografias precárias do trabalho informatizado, enfatizando o caso dos atuais e ex-trabalhadores/as de call e contact centres portugueses. As entrevistas biográficas, realizadas ao longo de cinco anos, analisaram o percurso destes/as trabalhadores/as. Na maioria dos casos, observou-se a construção de uma mente precarizada, subordinada a lógicas de medo e resignação. Este processo manifesta-se no sofrimento mental e psíquico do indivíduo, sobretudo na construção de uma identidade ocupacional e emancipação.
The present study consists in a longitudinal analysis of socioprofessional biographies, mainly, precarious ones from computerised work, emphasizing the case of actual and ex-workers of call and contact centres in Portugal. Biographical interviews, conducted over five years, analyzed the worker's trajectory. In most cases, it was noticeable the construction of a precariatized mind, subject to logics of fear and resignation. This process manifests itself in the mental and psychological suffering of the individual, especially in the construction of an occupational identity and emancipation.

Autores: Isabel Roque

top

. Theme 5) Gender Relations Family and Employment

(27) Atitude empreendedora na perspetiva de género e de desenvolvimento económico na Extremadura

Entrepreneurial attitude from the perspective of gender and economic development in Extremadura, “the individual male and female has perceived characteristics necessary for business activities, for example, assertiveness, competitiveness, boldness and risk taking if the (businessman) is a man or woman” (Nwankwo., Kanu., Marire., Balogun., & Uhiara., 2012, p. 15). Centered in the importance of gender on entrepreneurial activity with focus on economic development. Besides, we still discuss quality of entrepreneurship within developing institutions, strategic trajectory and entrepreneurial contingency, entrepreneurial relationship within the context of education for entrepreneurship, entrepreneurial management effectiveness and social strategy for the development of organizations based on the study Mogollón et tal. (2013) Informe Monográfico sobre Género Extremadura carried out by the Global Entrepreneurship Monitor (GEM).
Considering the perspective of entrepreneurial activity according to gender, we aim to identify and characterize relevant contributions and, for those purposes, we carried out an in-depth analysis starting from the study previously mentioned. The data will be discussed here deriving from the analysis of the three main dimensions addressed in this study: women’s entrepreneurial activity in Extremadura; entrepreneurial evolution according to gender in Extremadura; women’s entrepreneurial initiative in Extremadura.

Autores: António Sousa e Benedita Santos

(53) Nuevas desigualdades en contextos de crisis: la precariedad laboral femenina en España

A crise econômica junto à implementação de medidas de desregulamentação no mercado laboral conduziu a situações de precariedade exacerbadas no que diz respeito para as mulheres. No que respeita a Espanha, embora o aumento de 20 pontos percentuais na população ativa feminina e a progressiva aproximação à taxa de atividade masculina, uma análise mais pormenorizado revela que a situação das mulheres no mercado laboral é mais precária que a dos homens devido a que ocupam um maior número de postos de trabalho temporais, de part-time, com horários denominados "atípicos" assim como um menor salário pelo que a sua futura reforma será menor. Junto destas características assinaladas por o Guy Standing para definir a precariedade atual, situa-se a diferente dedicação aos trabalhos reprodutivos ou de cuidado nos lares, fator que contribui ao aumento da desigualdade entre mulheres e homens.
O presente texto tem por objetivo a exposição da situação de precariedade da população laboral feminina no contexto da atual crise econômica mediante a utilização de indicadores sociais que mostrem a maneira como, a pesar de uma maior participação laboral, a situação de desigualdade e precariedade das mulheres persiste devido à continuidade dos roles e estereótipos de gênero referidos à consideração do homem como principal sustentador da família e da mulher como a principal encarregada das tarefas familiares.

Autores: Mercedes Alcañiz

(57) Valores Relativos ao Trabalho: Testando a Invariância e as Diferenças de Média entre os Gêneros

Este estudo tem como objetivos desenvolver um modelo de valores relativos ao trabalho, testar a invariância do modelo de mensuração e avaliar a existência de diferenças significativas entre os gêneros masculino e feminino. Para o alcance destes objetivos, realizou-se uma pesquisa quantitativa, de caráter descritivo do tipo survey. O instrumento preenchido por 958 discentes foi baseado na Escala Revisada de Valores Relativos ao Trabalho (EVT-R) de Porto e Pilati (2010) composta por seis fatores: Autodeterminação e Estimulação, Segurança, Conformidade, Universalismo e Benevolência, Realização e Poder. Considerando o modelo proposto, optou-se por trabalhar com modelagem de equações estruturais e os principais resultados encontrados expõem que o modelo de mensuração é variante entre os gêneros. Ao estimar as diferenças de média, constatou-se que os indivíduos do gênero feminino demonstram maior importância aos fatores Autodeterminação e Estimulação, Universalismo e Benevolência, Realização e Poder do que aqueles do gênero masculino, sendo o fator Poder o que apresentou a maior diferença significativa entre os grupos. Tais resultados sugerem a relevância de se considerar os valores como variáveis promissoras para a compreensão de perspectivas subjetivas em relação ao comportamento dos indivíduos nas organizações, podendo contribuir para o seu planejamento, considerando tanto a dimensão individual, quanto a organizacional.

Autores: Ani Caroline Grigion Potrich; Kelmara Mendes Vieira; Vania de Fátima Barros Estivalete e Taís de Andrade

top

. Theme 6) Human Resources Management

(25) What is the role of 360º evaluation in organizational communication?

The performance evaluation and organizational communication have a central role in organizations, because promote organizational effectiveness (Proctor and Doukakis, 2003).
Some limitations of top-down performance appraisal (e.g. subjectivity) and new technologies (i.e., intranet) have been urging other evaluations, like 360º evaluation (Kondrasuk, 2012). This is a specific evaluation that considers more than one appraiser (Brutus and Gorriti, 2005).
We intend to realize what type of communication that leaders adopt (i.e., support communication or defensive communication) after applying the 360º evaluation. We intend to realize, too, which might be the consequences of this type of communication for some attitudes and behaviors of employees (e.g. commitment, satisfaction, trust and cynicism). To construct a research question, firstly it becomes pertinent to conducting an exploratory qualitative study, through interviews with experts.
In theoretical terms, we will present some categories and sub-categories constructed with data from the exploratory interviews (e.g. “360º evaluation as advantageous for organizational communication”). In general, we conclude that 360º evaluation may increase an active voice of employees and promotes a bi-directional and a symmetrical communication among them.
In practical terms, the aim is a promotion of the application of 360º evaluation and organizational communication, exceeding any limitations of existing communicative and evaluative processes.

Autores: Rita Andreia Monteiro Mourão e Sandra Lopes Miranda

(36) O “lugar das pessoas” nas políticas de responsabilidade social: desafios e tendências em contextos empresariais

Os processos de transformação que caraterizam o mercado de trabalho atual têm vindo a contribuir para reconfigurar e acentuar as diferentes estratégias de afirmação dos contextos empresariais. Nos últimos anos, a adoção de um comportamento socialmente responsável com vista à sustentabilidade do negócio, tem vindo a ganhar um espaço cada vez mais notável nas políticas das organizações, originando diferentes discursos e posicionamentos, traduzindo-se em investimentos específicos capazes de condicionar as relações laborais, sobretudo, ao nível dos recursos humanos, dos empregadores e das restantes partes interessadas.
Com base em fontes documentais, propõem-se promover uma reflexão acerca do lugar atribuído aos/às trabalhadores/as, nas políticas de responsabilidade social, de cinco empresas em Portugal. Recorrendo-se à análise qualitativa, pretende-se identificar algumas práticas de gestão de recursos humanos, bem como dimensões comparáveis ou de diferenciação, que permitam avançar com tendências ilustrativas de atuação empresarial.

Autores: Joana Correia dos Santos

(51) Acordos normativos no trabalho: repercussões das práticas gerenciais, na perspectiva do coletivo de trabalho

Esta pesquisa trata de analisar as repercussões das práticas gerenciais sobre a construção do trabalho em equipe, de acordo com o conceito de coletivo de trabalho, pela Psicodinâmica do Trabalho (PDT). Este conceito não pode ser compreendido apenas como formação de um grupo, no qual as pessoas se reúnem de forma automática para alcance do objetivo comum. Ele é o compromisso coletivo para encontrar soluções dos problemas da atividade através de uma construção social (DEJOURS, 2012). Partindo da concepção de que as práticas gerenciais tendem a endossar o sistema capitalista, cabe uma inquietação: como a construção do trabalho de forma coletiva, como uma prática gerencial, pode influir sobre a produção das relações sociais e acordos normativos no trabalho? A partir dos resultados das entrevistas com 11 gestores de diferentes setores no Brasil, realizadas pelo MEDS – Método de Explicitação do Discurso Subjacente (NICOLACI-DA-COSTA, 2007), foi possível categorizar uma das competências gerenciais voltadas à liderança de equipes. Esta competência corresponde à construção coletiva do trabalho, na qual os gestores propõem que a participação dos trabalhadores é de fundamental importância para construir normas e acordos do trabalho e alcançar resultados organizacionais esperados. Na ótica do referencial teórico, a coordenação pela chefia na construção do coletivo de trabalho corrobora condições para cooperação, no que se refere aos aspectos de visibilidade, confiança e espaço de discussão. Isto reforça o cenário natural de construção social e de acordos normativos no trabalho, conforme preconiza a PDT (CRUZ LIMA, 2013). No entanto, a construção coletiva, como prática gerencial, mostrou-se nos discursos dos gestores como uma forma de manipulação da subjetividade dos trabalhadores. A construção coletiva, então, refletiu uma prática gerencial instrumental, em forma de sedução e cooptação da subjetividade dos trabalhadores, que desafia o fortalecimento do coletivo de trabalho frente aos padrões rígidos da organização do trabalho.

Autores: Wagner Salles; Deise Nunes e Fernando Vieira

(71) CSR as a driver of a positive employees influence

The aim of the paper is to analyze the Corporate Social Responsibility‘s (CSR) influence on employees considering the fact that employees are primary stakeholders who directly contribute to the success of the company. In the paper we consider how CSR relates to employees and how CSR may represent a special opportunity to influence: employees’ general impression of the company and expectations about how the organization treats its employees. The role of CSR on employees is becoming more present in the business world, one of the reasons being that successful companies should attract and retain the best work force. By creating a good working environment and developing the internal CSR strategies, companies can stimulate productivity and satisfaction among employees. There’s a debate over whether CSR initiatives, that are socially responsible or environmentally friendly, helps make the employees more loyal and productive. Studies involving CSR have not fully explored how organizational social performance impacts individual employee behaviors nor examined the attributes of individuals comprising stakeholder groups such as employees. The objectives of this study are to analyze the implementation of CSR programs and its impact on employees. The main underlying proposition is that organization can influence its employee through his or her own ethical and responsible behavior. The work culture built upon this sense of organization’s voluntary contribution toward a wide number of stakeholders could invite and encourage employee to adopt the same voluntary attitude and behavior to their own fellow employees. Research clearly indicates, with the help of case study methodology, that committing to CSR boosts the morale and commitment of workers in a positive way. This framework explains how employees‘ perceptions of CSR trigger attitudes and behavior in the workplace which affect organizational, social and environmental performance.

Autores: Patrizia Gazzola e Gianluca Colombo

top

. Theme 7) Labour Relations and Social Movements

(49) Sindicatos em rede em Portugal? Os usos da Internet pelos sindicatos da saúde

Desde a década de 70 que a generalidade dos movimentos sindicais dos países capitalistas desenvolvidos enfrenta uma crise que se consubstancia no refluxo de efetivos e numa perda de influência. Tentando ultrapassar a situação, esses movimentos têm vindo a desenvolver estratégias diversificadas. Entre elas contam-se a adoção das TIC com recurso à Internet. Os sindicatos só muito tardiamente reconheceram o potencial destas tecnologias. Mas as vantagens competitivas que oferecem, baseadas na rapidez e na flexibilidade, impeliram-nos a utilizá-las, o que vêm fazendo de modo crescente. A Internet é um dos pilares da “sociedade em rede”. Segundo Castells e Cardoso (2006), a organização social atual baseia-se em redes digitais e apesar de nem todos estarem nelas incluídos, nem por isso deixam de ser afetados pelos processos que aí ocorrem. Os sindicatos não são exceção. A presente comunicação tem como objetivo analisar os sítios oficiais dos sindicatos da saúde na Internet. Será que estas organizações estão a retirar todas as potencialidades da web e a construir um sindicalismo em rede que possibilite a sua revitalização?

Autores: Paulo Alves e Carlos Levezinho

(56) A existência de vigilância por parte dos empregadores restringe a liberdade dos utilizadores nas redes sociais

O presente artigo aborda as questões da existência de vigilância feita sobre utilizadores e colaboradores, pelas entidades empregadoras, nas redes sociais. Estuda a problemática da própria definição de vigilância, na sociedade moderna, nomeadamente na web 2.0. As redes selecionadas para a análise foram o LinkedIn e o Facebook por serem duas das principais plataformas de comunicação na internet.
O objetivo deste estudo foi, fundamentalmente, analisar o tipo de vigilância que os empregadores fazem, em primeiro lugar aos atuais funcionários, para monitorizar a sua exposição nas redes sociais e a eventual partilha de informação reservada, sobre a organização, quer seja através de texto, ou de imagem. Em segundo lugar, este trabalho analisa a temática da restrição de privacidade imposta aos candidatos na procura de emprego, uma vez que, os seus perfis na web 2.0 são frequentemente consultados, com o propósito de se obterem dados adicionais, sobre a atitude e o comportamento dos candidatos. Cada vez mais, além das competências técnicas que são exigidas, é também vigiado o comportamento e a informação que se partilha nas redes sociais.
Neste alinhamento e recorrendo à análise documental, são discutidos e analisados três casos concretos, ocorridos internacionalmente, em que foi exercida vigilância pelos empregadores, junto dos colaboradores, tendo conduzido essas pessoas à situação de despedimento, devido a uma excessiva exposição e partilha de informação reservada.
Na parte final do estudo, faz-se uma breve verificação dos elementos que os empregadores mais valorizam nos perfis dos candidatos, além de várias sugestões, com vista à proteção e à otimização da sua exposição nas redes sociais.

Autores: Susana de Salazar Casanova e Sandra Lopes Miranda

(61) Dinâmicas de erosão das relações laborais portuguesas no contexto da crise

As medidas de governação económica e política da crise orientadas para o aumento da competitividade económica do país e redução do défice, enquadradas pelo programa de assistência financeira coordenado pela troika, conduziram a uma espiral de tensões nas relações de emprego. O aumento do desemprego e a erosão dos salários dos trabalhadores bem como das condições de vida da população em geral vão a par com alterações muito significativas da legislação protectora do emprego. Este artigo faz uma reflexão sobre a dinâmica de erosão das relações laborais no contexto da crise. Nesta óptica, passa em revista as principais alterações legislativas da regulação do emprego e analisa alguns indicadores da evolução da negociação colectiva. Conclui-se que as alterações legislativas reforçam o poder patronal no mundo laboral e configuram uma opção de desenvolvimento da competitividade das empresas e do país pela “low road”, ou seja, baseada na redução dos custos do trabalho, na promoção da flexibilidade quantitativa, no alongamento dos tempos do trabalho, na individualização da relação de emprego e consequente desvalorização do diálogo e do papel da negociação colectiva.

Autores: Maria da Conceição Cerdeira; Ilona Kovács e João Dias

top
Parcerias/Apoio
Patrocínios