» Front cover «

About this Publication

Table of Contents

Editor's Note


. Sessão 2 /Session 2

(03) “Erro, mas compenso”: uma crítica às ações de responsabilidade social corporativa por grandes organizações brasileiras como forma de compensação de danos

Este estudo discute a visão empresarial de sete grandes organizações brasileiras ao longo dos anos sobre o conceito de responsabilidade social, que em geral se posiciona na dicotomia assistencialismo-interesse. A noção do que é o social, na lógica empresarial dentro do terceiro espírito do capitalismo, tende a se expressar como uma ideia de compensação, muitas vezes também se configurando como ação estratégica de marketing social para alcançar vantagem competitiva e que extrapola, inclusive, para as relações sociais. A partir da análise documental das práticas de sete grandes organizações brasileiras, o estudo compara o histórico de danos com as ações de compensação socioambientais, a fim de levantar uma crítica sobre o conceito de responsabilidade social que tem sido praticado. As análises apontam para um grande passivo socioambiental que foi gerado por anos, sobre o qual as ações tidas como responsabilidade social buscam delimitadamente uma contrapartida à imagem negativa construída durante este período, buscando, assim, um reposicionamento no mercado na exploração da lógica da compensação. Conclui-se que há ainda lacunas a serem trabalhadas na visão socioambiental, no que se refere à noção de ética e da justificação moral, para além de uma mera gestão empresarial da questão social.

Authors: Thayná Apparecida D’Eça Kron; Raja Oliveira Khalil; Wagner Salles e Deise de Jesus Soares Nunes

(40) Representações Sociais sobre o Trabalho e o Emprego nos estudantes Universitários

Nesta comunicação apresentam-se os resultados de uma investigação sobre as Representações Sociais dos Estudantes Universitários sobre o Trabalho e o Emprego. Especificamente, a investigação incidiu sobre as representações sociais dos alunos de 3º ano dos cursos de licenciatura da Escola de Ciências Sociais da Universidade de Évora, no ano letivo 2017/2018, tendo sido traçado como objetivo geral aprofundar o conhecimento sobre as representações sociais dos estudantes universitários sobre o trabalho e o emprego, à beira de concluírem uma licenciatura e de se inserirem no mercado de trabalho ou de dar continuidade aos estudos (frequência de mestrado).
Nesse sentido, foram definidas as seguintes dez dimensões de análise - i) Educação/formação para o trabalho/emprego; ii) Inserção no Mercado de Trabalho (a ótica do aluno); iii) Inserção no Mercado de Trabalho (a ótica do empregador); iv) Inserção no Mercado de Trabalho (redes informais); v) Articulação Trabalho/Família; vi) Situação no Trabalho/estilos de vida/mobilidade social; vii) Empreendedorismo versus formas tradicionais de emprego; vii) Trabalho e novas tecnologias; ix) Trabalho, área de formação e empregabilidade e x) Trabalho e mobilidade geográfica – sobre as quais se construiu um questionário aplicado ao universo dos estudantes universitários alvo. Os resultados apontam uma para perspetiva relativamente homogénea das representações, quer do ponto de vista dos cursos frequentados pelos estudantes, como das suas características socioeconómicas. Desde a importância de uma formação mais diversificada ou polivalente (soft skills ou competências alargadas), passando pela relevância das redes informais de contato que podem ser estrategicamente mobilizadas, bem como amobilidade e disponibilidade para novas experiências de trabalho e a utilização/conhecimento de novas tecnologias, são aspetos ou fatores que caracterizam as representações dos estudantes acerca da problemática da inserção no mercado de trabalho .

Authors: Domingos Braga e Maria Manuel Serrano

top

. Sessão 3 / Session 3

(46) Flexibilização e precariedade do trabalho dos operadores de telemarketing em call centers: um estudo empírico

Considerando as sociedades contemporâneas, que se desenvolvem a partir de uma lógica de produção mercantil, baseada na telemática, surgem diversos ramos intermediários na atividade produtiva intensivos em informação, comunicação, entre eles, os Call Centers. A Reestruturação Produtiva reconfigura as dimensões do trabalhador e sua forma de inserção no mundo do trabalho. Aspetos como a dimensão subjetiva do trabalho passam a ser apropriados pelo modo de organização do trabalho capitalista, em sua nova roupagem de acumulação flexível, que adoece o trabalhador e altera suas experiências nas relações de trabalho. Diante deste contexto, este artigo busca discutir: (i) Em que medida os Call Centers constituem exemplos elucidativos das novas reconfigurações no mundo do trabalho, do surgimento de novas categorias de trabalhadores, de novas formas de extração de mais-valia e de organização flexível da produção e do trabalho? (ii) Qual o perfil sócio ocupacional dos trabalhadores, Operadores de Telemarketing, considerando a diversidade de perfis sócio ocupacionais que este novo proletariado é constituído, em suas diferentes variáveis, como a de género, geração, raça/etnia? (iii) Quem são as empresas atuantes na área, de que setor, o que produzem, de que porte? Diante de que contextos organizacionais se estruturam, quais são as suas estratégias empresariais? Porque se relacionam virtualmente com os clientes/consumidores em vez do face a face? A pesquisa compreende estas questões postas a partir das novas morfologias que o trabalho tem apresentado a sociedade, apropriando-se de alternativas flexibilizadoras, que trazem contradições à Classe-que-vive-do-trabalho e toma para si dimensões físicas do trabalhador e também subjetiva. O objetivo geral do estudo é compreender como se constituem as relações de trabalho em empresas de Call Center, considerando as novas formas de organização produtiva no século XXI. No que refere aos procedimentos metodológicos a partir da revisão da literatura e de entrevista semiestruturada, com operadores de telemarketing e com gestores de empresas de Call Centers em Montes Claros busca-se entender as categorias e conceitos chaves que permeiam essa atividade como: acumulação flexível, trabalho, emprego, reestruturação produtiva, infoproletariado, Call Center, telemarketing, trabalho precário, emprego precário e subjetividade do trabalhador. Por meio dessas categorias, busca-se compreender, de modo geral, como o processo de Reestruturação produtiva e o novo modo de organização produtiva, se instalam em empresas flexíveis, como os Call Centers e a partir destas preposições como se estabelecem as relações de trabalho em um cenário de construção de um novo proletariado - o infoproletariado.

Authors: Talissa Naira Castanha; Luciene Rodrigues e Maria de Fátima Rocha Maia

top

. Sessão 4 / Session 4

(25) Transição para o Ensino Superior: mudanças e aprendizagens dos estudantes provenientes dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP)

As transições enquanto processos de mudança que ocorrem na vida dos indivíduos (Field, 2012; Guimarães, 2013) têm vindo a ganhar destaque nos processos de aprendizagem (Ecclestone, Biesta & Hughes, 2010). Neste contexto, a transição para o Ensino Superior constitui, claramente, uma das mais significativas mudanças na vida dos estudantes, na medida em que é acompanhada por diversas mudanças pessoais e sociais, nomeadamente o desenvolvimento de autonomia, a experiência de novos papéis, a construção e consolidação da identidade (Azevedo & Faria, 2001). Ora, esta questão assume uma especial atenção principalmente quando falamos de estudantes provenientes dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) no Ensino Superior em Portugal. Em boa verdade, a transição destes estudantes para o ensino superior comporta diversas situações de mudança (transição no sistema educativo, mudança de residência, entre outras) que requerem um esforço acrescido de adaptação e integração não só num novo contexto académico, mas também num país diferente. Neste contexto, o principal objetivo desta comunicação consiste em compreender as mudanças e as aprendizagens decorrentes do processo de transição para o ensino superior em Portugal vivido pelos estudantes provenientes dos PALOP. Para alcançar este objetivo, foram realizadas entrevistas de cariz biográfico a vinte e dois estudantes dos PALOP da Universidade de Lisboa. Com efeito, as principais mudanças e aprendizagens decorrentes desta transição reportam-se à aquisição de responsabilidade, maturidade, crescimento, desenvolvimento pessoal e social, autonomia face aos seus pais, confiança e realização pessoal. Os estudantes destacam ainda mudanças na forma de pensar e de ver o mundo, a aquisição de conhecimentos académicos, o desenvolvimento de novas dinâmicas de estudo, o desenvolvimento de novas competências sociais e, por conseguinte, o estabelecimento de novas amizades. São, portanto, várias as mudanças e aprendizagens que estes estudantes vivenciam e adquirem na transição para o Ensino Superior em Portugal.

Authors: Catarina Doutor e Natália Alves

(50) Breakthroughs in the transition from Secondary Education to Higher Education: does the labour market respond to all failures?

The decrease in the flow of students from Secondary to Higher Education which has been seen in Portugal, has been attributed by policy-makers to the attraction of the labour market for young people who should be continuing their studies.
Several other reasons, which are generally missing in the official discourse, combine to create this decrease, including the role played by the State's social action policy for Higher Education, the ongoing effects of the economic crisis on families’ incomes, the level of schooling of the parents and mothers of students, among others. In addition to this set of potential explanatory causes, according to economic analyses, other psychological and sociological factors exist, which are often silenced, but which should nevertheless also be considered to achieve a thorough understanding of the dynamics of flows from Secondary to Higher Education. These factors include the motivation, commitment and self-efficiency of students.
Previous case studies of Higher Education institutions in Portugal have highlighted the relative influence of a set of factors such as those mentioned above, which leads us to defend the need for an integrated and strategic approach to these factors. This study starts with a macroeconomic and social approach, using comparative education methodology, to obtain a characterisation of the relative position of Portugal with regards to the average indicators of the above-mentioned factors (Bray et al., 2007). This approach is described in this paper, where the main result is expected to be the conclusion that, among various factors, which include the inadequacy of public policies, the decisive factors for the decline in the flow of transition to Higher Education in Portugal are economic ones and access to income, despite the fact that the current legislature of the Socialist Government, which began in 2015, proposes to develop and implement measures designed to favour this transition.
The identification of these effects, which have not been diminished or even aggravated by the present legislature, can be used to for the future conception of an analytical instrument of individual and longitudinal information found in a database of a Portuguese Higher Education institution, which will be developed during a second stage of this analysis.

Author: Margarida Chagas Lopes

(05) Políticas públicas de educação de adultos e mercado de trabalho local: governança e desarticulação entre necessidades e ofertas de emprego no caso dos Cursos EFA

Este texto visa discutir as oportunidades e os desafios com os quais os responsáveis locais, os educadores-formadores e os educandos-formandos de Cursos de Educação e Formação de Adultos (Cursos EFA) de dupla certificação de um centro de formação profissional da rede pública do Alentejo Litoral se confrontam. Este texto surge no âmbito do projeto de investigação YOUNG_ADULLLT (1). A análise de dados empíricos decorre de entrevistas semi-dirigidas aos atores sociais identificados, através da análise de conteúdo temática. Um primeiro eixo de análise remete para a circunstância de estes Cursos favorecem a igualdade de oportunidades entre indivíduos que, por razões diversas, não completaram a escolaridade obrigatória. Uma segunda dimensão, ao nível da governança, denota a débil articulação das análises de necessidades de educação e formação e as efetivas oportunidades locais de emprego. Uma terceira dimensão centra-se na relação destes Cursos com os percursos biográficos de jovens de exclusão e sobre a oportunidade de mudança de rumo vida de jovens.

Authors: Paula Guimarães; Natália Alves e Rita Queiroga

top

. Sessão 5 / Session 5

(20) Ensino superior e o mercado de trabalho - a mesma realidade nas sociedades da Europa do Sul?

O ensino superior é um dos valores-chave mais importantes para a mudança nas sociedades rumo ao desenvolvimento e à modernidade. Analisando os sistemas de ensino superior na Europa, é evidente que o Sul da Europa tem evidenciado diferenças comparativamente ao resto do continente, apesar das estratégias para alcançar uma cultura europeia de ensino superior através da definição de diretrizes de políticas transnacionais de ensino superior. Numa primeira abordagem, olhamos para o ensino superior da Europa do Sul – em concreto Portugal, Espanha, Itália e Grécia – a partir da sua caracterização, da identificação de importantes mudanças sociais e políticas das últimas décadas e das suas políticas públicas de Ensino Superior. Considerando a função social de um sistema de ensino superior como respondendo às necessidades da sociedade e das partes interessadas, a segunda abordagem consistirá em avaliar a relação entre o ensino superior e a qualificação do mercado de trabalho nos países do sul da Europa. Utilizando fontes de dados internacionais, como a OCDE e o Eurostat, com base em dados oficiais e fidedignos para explorar tendências estatísticas, esta reflexão empírica ajudará a comparar a(s) cultura(s) de ensino superior e a sua relação com o mercado de trabalho, identificando aspetos convergentes e divergentes entre os países da Europa do Sul.

Author: Cláudia Urbano

(26) O processo de inserção profissional dos diplomados em ensino: dinâmicas para a concretização de um processo de inserção profissional de risco

O indivíduo, enquanto ator central e responsável pela construção da sua trajetória de vida, não obstante os condicionantes com que se confronta e que fortemente o constrangem, é compelido ao planeamento da sua trajetória de vida, consciente (aparentemente) do risco de não concretização do planeado (Beck, 2000). Como compreender, neste contexto, a construção de projetos de vida profissionais direcionados para áreas cujo conhecimento amplamente difundido as integra em contextos de risco de não concretização da inserção profissional? Que dinâmicas subjazem à construção de projetos de vida profissionais de risco?
A presente reflexão decorre de uma investigação mais alargada produzida no âmbito do doutoramento em sociologia e insere-se nos estudos sobre as alterações sociais decorrentes da concretização da modernidade reflexiva (conforme à perspetiva de autores como Beck, Giddens e Lash [2000]), particularmente sobre a obrigatoriedade que os indivíduos experienciam pela construção da sua trajetória de vida, embora fortemente condicionados pelas novas conceções de funcionamento dos mercados formativo e laboral, o que tem conduzido a uma diferente conceção do projeto de vida profissional (Pascueiro, 2018).
Restringe-se à estruturação da inserção profissional dos diplomados da UNL da área do ensino, privilegiando os resultados obtidos através do método intensivo – entrevistas semi-estruturadas. Deparamo-nos nesta população, entre os perfis extremos de projeto de vida profissional confirmado como professor e o de projeto de vida profissional confirmado em outra área profissional (decorrente da reconfiguração de um anterior orientado para a profissão docente), que outras configurações surgem decorrentes de processos de inserção profissional diferenciados. Nestes processos, o relevo dado ao conhecimento produzido no âmbito dos sistemas periciais sobre o mercado de trabalho (suporte para [alguma] segurança da concretização do processo de inserção profissional ambicionado) não é consensual. Destacamos, a este respeito, que o conhecimento pericial produzido sobre o mercado de trabalho tem especial relevo nas dimensões de planeamento e de escolha e decisão de projetos de vida profissionais que materializam processos de reinserção profissional (orientados para a profissão docente ou para outra atividade) e de inserção profissional decorrente da reconfiguração do projeto de vida profissional que foi em tempos orientado para a profissão docente.
Em suma, a oportunidade de construção de si mesmo, espelhada na possibilidade de concretização de um projeto de vida profissional, é suportada em diferentes graus de reflexividade conforme ao momento em que à (re)inserção profissional diz respeito .

Author: Liliana Pascueiro

top

. Sessão 6/ Session 6

(11) Ayudas socioeconómicas para la conciliación laboral/familiar en suecia. Repercusiones socioeducativas

En Suecia, el sistema de protección social se caracteriza por tener unas coberturas bastantes amplias y en concreto unas prestaciones familiares bastantes generosas, consideradas como un instrumento importante de ayuda al sostenimiento de las rentas de las familias, aunque en los últimos años, se han producido recortes en las mismas. Este trabajo pretende describir las diferentes ayudas económicas en Suecia, principalmente las familiares relacionadas con la infancia, como centro de actuación, teniendo como objetivo el mantenimiento y el sostenimiento económico de esta. Si bien encontramos que vivir en Suecia hoy día se presenta por lo general caro con elevados impuestos, también es cierto que existen multitud de ayudas económicas estatales. Estas ayudas, así como las políticas familiares y de atención a la infancia, las cuales respaldan el sistema de protección social, permiten que pueda lograrse una mayor conciliación laboral y familiar.

Authors: Vicente Llorent-Bedmar; Verónica Cobano-Delgado Palma e Cristina Ruiz-Jiménez

(22) Tendências de atividade: emprego e desemprego entre os mais seniores (1988-2017)

O envelhecimento da população não é um fenómeno que se esgote na dimensão biológica e demográfica, conforme as abordagens mais determinísticas podem fazer crer. As questões suscitadas pelo envelhecimento, embora relacionáveis com o aumento da esperança de vida e a dinâmica da distribuição da população, são o resultado das convenções predominantes nas nossas sociedades, que para serem convenientemente ajustadas, envolvem a (re)construção dos modelos produtivos vigentes e do entendimento que privilegiamos relativamente à relação dos humanos com o trabalho.
Assim, o problema em apreciação nesta comunicação são as tendências que se estão a estabelecer, em termos de atividade, emprego e desemprego, no interior do grupo etário dos indivíduos mais seniores (com + 65 anos de idade) da população portuguesa. Do ponto de vista metodológico, o tratamento deste problema faz-se através da análise do comportamento da população ativa, da população inativa, da população empregada e da população desempregada, com idade superior a 65 anos (1988-2017), com base em dados oficiais (INE – Inquérito ao Emprego/Pordata).
As dinâmicas que se inferem dos níveis de (in)atividade e de (des)emprego, no grupo e no período considerados, atestam a diminuição de atividade, a diminuição de emprego e o aumento do desemprego, entre os mais seniores (+ de 65 anos), tendo por pano de fundo o aumento da esperança de vida, que torna pertinente a continuidade da discussão sobre a reformulação do significado social da senioridade, da geometria dos ciclos produtivos e do trabalho na contemporaneidade.
Sem a transformação ou o reposicionamento do trabalho e das lógicas produtivas no ciclo biológico e demográfico da vida humana, dificilmente, o envelhecimento da população será um sinónimo de ganhos civilizacionais sustentáveis e tenderá a permanecer reificado e em situação de risco crescente, polarizando-se, entre um atrativo aumento da esperança de vida, no entanto, desprovido do desejável incremento de qualidade de vida .

Author: Ricardo Fabrício

top

. Sessão 7 / Session 7

(06) Networking e Carreira: Conceitos e interações

O grau académico e a experiência profissional individual eram, até há algum tempo, fatores decisivos para aceder a uma posição, trabalho ou emprego. Contudo, a globalização, os novos enquadramentos das relações sociais, económicas e ambientais e o desenvolvimento tecnológico, impõem novas exigências aos indivíduos e às organizações na gestão da carreira. Uma das variáveis determinantes no acesso a emprego e nas transições no trajeto profissional é o networking, que, segundo vários autores, é um instrumento para criar, desenvolver e manter uma rede de contactos informais com o intuito de criar condições para satisfação de interesses mútuos. Logo, criar e manter uma rede de relacionamentos pode fazer a diferença na procura e obtenção de um primeiro ou de um novo emprego.
Assim, através de uma revisão bibliográfica, o presente artigo visa desenvolver uma análise crítica sobre as várias tipologias e conceitos de networking e de carreira, tentando identificar relações biunívocas entes as duas noções.
Conclui-se que ambos os conceitos têm vindo a evoluir e a adquirir significados diversos. Num enquadramento organizacional, quando se fala de carreiras na gestão das organizações, destaca-se a noção de carreira proteana, por ser a que aparentemente tem uma relação mais incisiva sobre o conceito e as competências de networking.

Authors: Miguel Baião dos Santos e Isabel Duarte

(61) Gestão de Recursos Humanos - O que pode ajudar a atrair e reter os melhores

Com o desemprego a diminuir os recursos humanos estão a tornar-se num recurso escasso, sobretudo os mais talentosos. Com efeito de um modo geral em todo o mundo ocidental e de forma particular em Portugal o desemprego nos últimos anos caiu abruptamente e supõe-se que vá continuar a diminuir. Sem recurso à imigração e pressupondo valores baixos de emigração, os indivíduos disponíveis para ingressar no mercado de trabalho são manifestamente insuficientes para substituir os que, por via da idade se retiram do mesmo. Face a este quadro muitas organizações reinventam práticas que possam fazer a diferença conseguindo atrair e reter os melhores. Assim o nosso objetivo é identificar e caraterizar algumas dessas práticas a partir quer da revisão da literatura quer de organizações que prestaram informação sobre o que estão a fazer de diferente a nível de Gestão de Recursos Humanos disponibilizando documentação interna e no âmbito de inquéritos por questionário. O que constatamos é que as práticas que valorizam em primeiro lugar os trabalhadores, a sua satisfação com as questões remuneratórias e em geral com o seu bem-estar, a conciliação entre a vida profissional e familiar são adotadas por um número crescente de organizações. Os conceitos de Employee Centric e de Employer Branding começam a ser implementados e traduzem-se frequentemente em ações concretas com pouco impacto em termos de custos mas que são percecionadas de forma muito positiva pelos trabalhadores que beneficiam delas. Também a flexibilidade, a promoção do trabalho em equipa, do desenvolvimento de competências e a descentralização das decisões conferem novos significados às relações de trabalho tornando-as mais atrativas para as partes envolvidas e consequentemente permitindo melhores resultados.

Authors: José Rebelo dos Santos e Maria de Lurdes Pedro

top

. Sessão 8 / Session 8

(31) Transições após a reforma: necessidades e aspirações de idosos em estruturas residenciais

O fenómeno do envelhecimento é reflexo de profundas transformações sociodemográficas, representando simultaneamente um êxito e um desafio. Sucessivos governos e instâncias internacionais têm manifestado interesse em melhorar os sistemas de protecção social e de resposta à população envelhecida, quer através de alterações à legislação quer através de respostas específicas como a das estruturas residenciais. As estruturas residenciais são uma das opções mais equacionadas pelos idosos em Portugal e nesse sentido é manifestamente importante conhecer a realidade experienciada neste contexto. Sob a perspetiva de que cada sujeito tem uma história ímpar, que se constrói durante todo o percurso de vida, envelhecer reveste-se de expectativas, necessidades e significados diferentes. A parte do estudo aqui apresentada pretendeu conhecer a realidade de idosos que vivem em estruturas residenciais, em termos das suas vivências anteriores, motivos e expectativas face à institucionalização bem como de necessidades e aspirações neste contexto. Foram realizadas 20 entrevistas semiestruturadas com idosos entre os 80 e 91 anos, tendo sido transcritas e analisadas na íntegra através de análise de conteúdo. A vida anterior à institucionalização é sobretudo marcada por atividades de trabalho/vida diária que se evidenciam como um pilar organizador que confere sentido aos dias. A decisão de entrada para a instituição foi sobretudo tomada pelos próprios idosos devido a vulnerabilidades existentes ou perspetivadas. Ainda que os idosos tenham tido sobretudo expectativas de ganhos relativamente à institucionalização, as perdas e ganhos referidos como tendo ocorrido efetivamente apresentam um peso semelhante. As perdas mais significativas que os idosos não equacionaram antes da entrada na instituição referem-se sobretudo à quebra de laços familiares e de relacionamentos marcados por carinho e respeito. Apesar do contexto institucional ideal ser caracterizado por diferentes aspetos surgem em número considerável verbalizações que indicam a descrença num contexto melhor. São equacionadas implicações para a melhoria das estruturas residenciais e para o aumento da qualidade de vida dos idosos.

Authors: Adriana Bugalho; Luísa Grácio e Edgar Galindo

(17) A gestão do tempo de trabalho e suporte organizacional: as relações com as percepções de equilíbrio trabalho-vida privada

Esta pesquisa centra-se nas questões relativas ao equilíbrio trabalho-vida privada que ganharam visibilidade a partir dos anos 90, não só pelas consequências negativas que ocorrem não só para os indivíduos (ex. burnout) mas igualmente para as organizações (ex. absentismo ou baixa de produtividade) provocando problemas de eficiência. Da parte das organizações a resposta passa pela implementação de iniciativas que facilitem a conciliação trabalho-vida, como a gestão do tempo de trabalho (ex. horários flexíveis), mas com resultados por vezes contraditórios para os quais contribuem as características dos trabalhadores, como o género, e a cultura organizacional. O objectivo do estudo é analisar a gestão do tempo de trabalho e os efeitos do suporte organizacional (supervisor e colegas) nas percepções de equilíbrio trabalho-vida privada.
Os dados analisados são provenientes do EWCS 2015, com uma amostra de 43850 indivíduos, de 35 países europeus, que foram inquiridos por questionário. O estudo das relações entre variáveis preditoras e critério foi realizado por meio de regressão linear hierárquica.
Os resultados obtidos evidenciam a importância do horário de trabalho se adequar aos compromissos extra-trabalho e do apoio do supervisor directo com efeitos positivos, e o número de horas de trabalho semanal, com efeito negativo, como principais preditores das percepções de equilíbrio trabalho-vida privada; entre as variáveis de controlo, ser homem relaciona-se de forma positiva com o equilíbrio trabalho-vida . .

Author: Maria Leonor Pires

top

. Sessão 9 / Session 9

(53) Homens, mulheres, papéis sociais e consumo de álcool

Alguns investigadores têm encontrado, a nível internacional, evidências de uma associação entre papéis sociais e a posição social das mulheres e o seu consumo de álcool. Partem da premissa de que a um maior número de papéis está associada uma vida mais estruturada e, portanto, com menos oportunidades de consumir álcool, pelo menos em quantidades mais elevadas. Sucede o mesmo em Portugal? E será que o mesmo acontece com os homens?
Pretendemos aqui examinar a relação de três grandes papéis socias (parentalidade, estado civil e relação com o trabalho) com o consumo de álcool entre mulheres e homens em Portugal, em contexto de sociedades de risco. Como é que estes três papéis sociais e suas diferentes combinações estão relacionadas, e de que modo, entre homens e mulheres em Portugal?
Serão utilizados os dados do IV Inquérito Nacional ao Consumo de Substâncias Psicoativas na População Geral em Portugal. Como variáveis dependentes consideramos o consumo corrente, o consumo de risco e o consumo binge de álcool. Informação sobre estado civil, sobre parentalidade e relação com o trabalho será utilizada como indicadores de papéis sociais. São realizadas análises de regressão múltipla para testar se a manutenção de vários papéis está relacionada com o consumo de álcool entre homens e mulheres .

Authors: Clara Vital; Casimiro Balsa e Cláudia Urbano

(23) Comportamentos de risco em contexto laboral: o consumo de substâncias psicoativas em Portugal

Na esfera de representação das atividades ou grupos profissionais não há unanimidade sobre a relação entre o consumo de substâncias psicoativas e o tipo, a natureza ou as condições nas quais se exerce uma atividade profissional. Se, para alguns, o tipo de trabalho, as condições nas quais ele se realiza ou o estatuto do trabalhador podem influenciar os consumos, para outros, os meios laborais limitam-se a refletir os determinantes dos consumos que são estruturados de acordo com as dinâmicas da sociedade. Os inquéritos ao consumo de substâncias psicoativas lícitas e ilícitas em Portugal (INPG), realizados periodicamente desde 2001, podem fornecer elementos de informação úteis para este debate e, para além dele, contribuir para a definição de políticas públicas mais adequadas aos problemas encontrados. Nas duas últimas aplicações do INPG, realizadas em 2012 e 2016/17, consideramos um novo conjunto de variáveis centradas sobre os contextos laborais. A partir dos resultados obtidos, propomo-nos desenhar perfis sociológicos de consumos que considerem as principais características destes “contextos laborais”, associando-os às variáveis sobre o consumo de substâncias psicoativas lícitas e ilícitas. Distinguiremos, para isso, no seio da população geral a “população com relação ao meio laboral” – aquela que, no momento do inquérito, estava empregada e a que, não o estando (por razões de circunstância – desemprego, doença…), podia ser ainda integrada no mercado de trabalho. Utilizaremos modelos de análise exploratórios e inferenciais de modo a melhor pôr em evidência o estatuto das diferentes dimensões de análise – uma mais relacionada às características individuais, outra mais às do contexto laboral – procurando identificar, assim, fatores de maior ou menor risco de consumo de substâncias psicoativas em contexto laboral e/ou na população relacionada com o meio laboral.

Authors: Cláudia Urbano; Casimiro Balsa e Clara Vital

top

. Sessão 10 / Session 10

(56) Polarização e transições de emprego

As últimas décadas foram palco de mudanças profundas na estrutura do emprego. A polarização do emprego é um traço marcante desta mudança, que se aprofundou no decurso da crise na maioria das economias mais avançadas. Existe já algum conhecimento sobre o impato da crise na estrutura do emprego a um nível muito agregado, incluindo sobre o caso português. Menor atenção tem sido dada aos fluxos no mercado de trabalho levando em conta o tema da polarização. No entanto, a estrutura do emprego ao nível agregado pode incluir padrões muito disferentes de transições de emprego e mobilidade ocupacional. Acresce que a polarização pode ser o resultado de um aprofundamento entre aqueles que acedem a empregos seguros, bem pagos, e aqueles que transitam entre empregos precários, mal remunerados, com passagens mais ou menos longas por situações de desemprego. Este trabalho procura contribuir para colmatar esta lacuna de conhecimento do caso português, centrando-se sobre as transições no mercado de trabalho de 2010-2017 e a mobilidade ocupacional no período de vigência da troika.

Authors: Maria da Conceição Cerdeira; Ilona Kovács e João Dias

(68) Deficiência e transições laborais

O emprego constitui-se como a principal fonte de subsistência da grande maioria das pessoas, sendo simultaneamente visto como uma importante fonte de estruturação da vida pessoal e social, motivo pelo qual é considerado como um bem a preservar (Alves, 2008; Capucha, 2010; Pedroso, 2008; Veiga e Fernandes, 2014). Contudo, para além das mudanças estruturais a que se tem assistido nos últimos anos neste domínio e que acarretam cada vez mais alterações e transições na vida pessoal, a atividade laboral pode ser afetada por outro tipo de acontecimentos súbitos e inesperados como, por exemplo, o aparecimento de uma deficiência. No entanto, pouco se conhece sobre as trajetórias e transições laborais das pessoas que são confrontadas com esse acontecimento biográfico.
Nesta comunicação pretendemos analisar as trajetórias e transições laborais de pessoas com deficiência adquirida e respetivas repercussões nas suas vivências e qualidade de vida. Para o efeito foram realizadas entrevistas semi-diretivas a 21 pessoas com deficiência neuro-musculo-esquelética adquirida na idade adulta.
A análise efetuada permitiu-nos identificar várias trajetórias-tipo, algumas das quais caraterizadas por verdadeiros turning points (Blanco, 2011; Elder e Giele, 2009) na vida laboral destas pessoas, já que implicaram a passagem para o mundo do desemprego ou da inatividade e/ou a necessidade de reconstrução da vida profissional em áreas de atividade bastante diferentes das originais, com repercussões na sua qualidade de vida. Para o efeito, estas pessoas contaram com a ajuda de vários recursos e atores, nomeadamente, os provenientes da esfera educativa/formativa, os quais também contribuíram para a configuração de vivências bastante diferenciadas .

Authors: Benedita Lima e Natália Alves

(15) Patterns of transition to employment: Comparing two generations of workers in Portugal

Our research compares the transitions patterns of two generations of workers, the Xers (those who were born in 1963 – 1980) and the Millennials (those who were born in 1981 – 1996). We interviewed 19 people in Lisbon (Portugal) to find their occupational trajectory since the first entry to the labour market. We found four paths of transitions for Millennials and two paths for Xers. Although the Xers have been affected by reforms of regulation allowing the use of flexible arrangements, they were less likely to be assigned to precarious jobs, while the job precariousness is a regular feature of Millennials’ transition. While some Xers move through temporary contracts, they were unlikely to have unemployment spell. The temporary jobs represented a stepping-stone to permanent job for Xers. The Millennials mostly report unemployment spells in the transition from one temporary contract to another. The findings suggest that the Millennials are at risk of being entrapped in low quality jobs.

Authors: Bruno Miguel Oliveira; Fátima Suleman e Sara Ramos

top

. Sessão 11 / Session 11

(29) O mundo dos músicos que trabalham na região do Algarve: Uma abordagem exploratória

Procura-se com este texto apresentar e discutir os resultados exploratórios de uma investigação sociológica em curso sobre o trabalho dos músicos que realizam a sua atividade musical na região do Algarve. Esta incursão inicial no objeto de estudo faz-se a partir da análise dos mundos plurais dos músicos que conciliam a sua atividade ocupacional no mundo da música com outras atividades de trabalho. Do ponto de vista metodológico trata-se de uma investigação qualitativa que procura conhecer em profundidade os mundos plurais da arte musical e que recorre como técnica de recolha de dados privilegiada à entrevista semi-estruturada. A incursão exploratória no material empírico já disponível permite perceber que se a identidade social dos músicos é marcada de forma forte pela atividade musical, a condição precária e incerta desta atividade faz com que os músicos se desmultipliquem em outras atividades ocupacionais de forma a obter um nível remuneratório que lhes permita a sobrevivência na sua vida quotidiana. Este primeiro mergulho exploratório nos dados empíricos permite-nos levantar como hipótese verosímil que a vida dos músicos no Algarve constitui um mundo diverso e plural atravessado pelas lógicas do capitalismo flexível e pela condição estrutural do precariado.

Authors: João Eduardo Martins e Sandro Candeias

top

. Sessão 12 / Session 12

(27) Educação a distância e ambientes virtuais de aprendizagem: novos desafios para a gestão e a avaliação

O estudo questiona a eficiência e a eficácia do processo de gestão da aprendizagem eletrónica para superar barreiras à educação e promover novas formas de aprendizagem no âmbito da utilização do equipamento pelos atores e mediação docente visando o pensamento crítico e o enriquecimento educativo.
Os especialistas têm apontado problemas ao nível e qualidade da aprendizagem, excessiva vinculação a processos de rentabilidade financeira, falhas significativas de desenvolvimento de competências de contato e problemas de avaliação difíceis de resolver satisfatoriamente.
Em consequência, o objetivo geral consiste em avaliar um modelo de gestão do sistema e processo educativo – denominado Sistema Diagnose – que visa assegurar a gestão integrada de um processo de ensino-aprendizagem de elevada qualidade, assente numa perspetiva multidimensional da sustentabilidade (aprendizagem por competências, aprendizagem por problemas e autoavaliação assistida).
Trata-se de uma reflexão sobre o acesso e a divulgação da informação e do conhecimento e de uma pesquisa de processos e ferramentas de e-learning como recursos de gestão adaptados ao modo de vida das sociedades do conhecimento.
A pesquisa aprofunda estudos anteriores visando encontrar soluções educacionais a distância que se adaptem à complexidade de novos contextos de informação, bem como mapear atitudes e habilidades necessárias e analisar a eficácia de um sistema integrado de gestão e avaliação, utilizando-se uma escala de intervalos.
Trata-se de uma pesquisa de campo descritiva, envolvendo docentes e discentes de duas universidades (Brasil e Portugal) com práticas de ensino a distância. Utiliza-se um questionário para coletar informações sobre os dois primeiros objetivos e as respostas são comparadas, utilizando-se o SPSS, 25. Resultados:
1. Identificação de atitudes e habilidades favoráveis à educação a distância de alta qualidade.
2. Ampliação da educação a distância em novos formatos mais flexíveis.
3. Consolidação de meios de implementação de e-learning e sistemas de educação a distância.
4. Melhoria da eficácia de uma ferramenta de gestão e avaliação multinível de processos e resultados de educação a distância.
Principais conclusões:
1. Ampliação da educação a distância em vários formatos, oferecendo ferramentas mais flexíveis e efetivas para o desenvolvimento de indivíduos, organizações e sociedade.
2. Apresentação de uma ferramenta que pode ser usada para melhorar a avaliação de gestão e multinível de processos e resultados a distância.

Authors: Artur Parreira; Rui Moura e Ana Lorga da Silva

(34) Strategic entrepreneurship from a gender perspective: its impact on business performance

What are the effects of entrepreneurship education on business performance from a gender perspective? Although prior research has neglected and understudied some issues, this study investigates the impact of male and female entrepreneurial intentions upon entrepreneurial activity. Hence, a perspective of theories on equality of opportunity, considering female and male individual perception of men and women autonomy and self-determination, is needed. Subsequently, the relationship between entrepreneurship education and entrepreneurial intention is analyzed. The sample of this study included a total of 370 entrepreneurs in the state of Amapá, 197 male respondents in the age range from 18 to 64 years corresponding to the percentage of 53.2% (M = 33.17; (SD) = 9.11) and 173 female respondents with a percentage of 46.8% (M = 33.29; (SD) = 9.87). For the regression analysis, the dependent variable (entrepreneurship education, XO) was associated with the independent variables. In hypothesis testing, the hypothesis X5 (I am determined to create a firm in the future) (B = 0.0888187: p value 0.0068 *** <0.01) is positively associated with the hypothesis X9 (I am prepared to start a viable firm) (B = 0.322155, p value 0.0005 *** <0.01) in a 99% probability of statistical significance.

Authors: António Nogueira de Sousa e Benedita do Socorro Santos de Sousa

top
Parcerias/Apoio



Patrocínios/Apoio