A mudança de regime em Portugal subsequente ao 25 de Abril de 1974 resultou na transformação das instituições políticas e económicas fundamentais. As instituições regulando as relações de trabalho e de emprego foram especialmente tocadas pela transição democrática e, na sequência de um período de instabilidade revolucionária, iniciou-se um processo de reinstitucionalização das relações industriais. A entrada de Portugal na CEE-UE abriu um espaço que em conjunto com o programa de reformas estruturais dos governos da última década e a sua orientação na política industrial, constituiu um estímulo para a reestruturação económica. O objectivo deste trabalho será de contribuir para o conhecimento do padrão de relações industriais emergente no contexto da reestruturação ao nível das médias e grandes empresas, especificamente através da análise de alguns resultados seleccionados de um inquérito nacional dirigido às médias e grandes empresas. Através da análise deste inquérito, tentar-se-á estabelecer algumas características básicas do padrão de relações industriais ao nível micro- sociológico da empresa. Subsequente a esse esforço, a análise abordará o impacto que a reestruturação possa ter nesse padrão. Os elementos de caracterização das relações industriais ao nível das empresas permitirá uma análise dos efeitos de várias tendências associadas com as reestruturações em curso. A análise desenvolve-se de maneira a permitir relacionar os resultados com o debate incipiente sobre a "crise do sindicalismo".