Este artigo, baseado nos resultados de uma investigação empírica, procura realçar as condições existentes numa empresa de confecções que contribuiram para o insucesso de um novo modelo organizacional. O objectivo do estudo é analisar a estratégia de implementação dos grupos de trabalho bem como avaliar as resistências que surgiram ao longo do processo de inovação. É ensaiada uma reflexão teórica acerca de conceitos como qualificação, participação e formação profissional, os quais constituem referenciais na análise da estratégia que presidiu ao processo de implementação de um novo modelo de organização. A autora conclui que a estratégia que presidiu ao processo de formação dos grupos polivalentes não contemplou o envolvimento e a participação do pessoal afectado pela reestruturação organizativa em curso.