Partindo de diferentes abordagens que pretendem classificar a época em que vivemos, o autor reflecte sobre o papel que o trabalho ocupa no processo de maturação das sociedades actuais. O lugar e a importância do trabalho nas sociedades contemporâneas está a sofrer importantes transformações, às quais não é alheia a germinação dos chamados efeitos perversos inerentes ao próprio sistema. Entre esses efeitos, o que nos interessa aqui reter refere-se ao aumento do desemprego. Esboça-se e ensaia-se assim uma reflexão sobre duas das causas normalmente associadas a este fenómeno (a globalização financeira e o progresso tecnoIógico), e procura-se analisar os seus reflexos no caso português. Não havendo uma solução única para o combate ao desemprego -pois este não se coloca sempre do mesmo modo nem com a mesma intensidade -propõem-se, ainda assim, algumas medidas de rumo para o futuro que, de uma forma ou de outra, parecem ajustar-se à generalidade das situações.