Este artigo resulta de uma reflexão sobre as proximidades que unem a actividade sindical à de sociólogo. A partir de um estudo assente no método biográfico (histórias de vida), dá-nos conta das principais motivações que atraem sindicalistas pela formação em Sociologia. No fundo, a maioria dos entrevistados é movida pela necessidade de compreender melhor a rede complexa de relações sociais que caracteriza a sociedade contemporânea para, num segundo momento, projectar os seus conhecimentos em reivindicações fundamentadas.