Partindo da relação laboral estável, assente numa lógica de massificação económica e no quadro jurídico que lhe subjaz, pretende-se abordar a problemática das novas relações de trabalho emergentes neste final de século, resultantes das transformações do modelo organizacional das empresas. Um segundo objectivo é o de avaliar qual o papel das estruturas sociais, em geral, e sindicais, em particular, na consolidação do complexo equilíbrio de poderes, ultrapassado que está o anterior paradigma da empresa como local privilegiado do conflito laboral e é chegado o momento de encontrar uma nova base de entendimento social, assente numa relação de trabalho mais adequada às contingências de uma sociedade em mudança!