A análise de redes sociais é frequentemente mencionada como um novo paradigma nas ciências sociais. Esta perspectiva vê a realidade como uma rede de redes (conjuntos de relações entre entidades interdependentes) e pretende detectar os padrões de interacção social existentes nessas redes, de forma a compreender como afectam o comportamento dos actores sociais. A utilização de técnicas como a teoria de grafos, a teoria estatística e de probabilidades e os modelos algébricos permite a medição empírica e a modelação dos padrões de relações. Este artigo consiste numa introdução à análise de redes sociais seguida por uma aplicação ao estudo das organizações.